O que fazer em Buenos Aires sem gastar muito?

Se você quer saber o que fazer em Buenos Aires pra curtir a cidade com pouca grana, aqui vai um resumo das principais atrações.

  • Mercado e Feira de San Telmo (entrada gratuita)
  • Reserva Ecológica Costanera Sur (entrada gratuita)
  • MALBA (90 pesos, aproximadamente R$6,90)
  • Cemitério da Recoleta (entrada gratuita)
  • MACBA (32 pesos, aproximadamente R$2,20)
  • MAMBA (30 pesos, aproximadamente R$2,10)

No começo desse ano tivemos passamos alguns dias em Buenos Aires. Depois de comprar as passagens para ficar lá durante 8 dias começamos a busca do nosso roteiro. Como de praxe, sempre contemplamos museus e centros culturais, lugares bonitos nas ruas, bons restaurantes e claro, as regiões para tomar uma cerveja gelada no final do dia como todo bom viajante merece. 

Como a grana estava um pouco curta, priorizamos os lugares mais baratos e acessíveis para nossos rolês. Para nossa alegria, na época o peso argentino estava mais barato que o normal e o valor dos produtos lá também não estava tão alto, então demos muita sorte! Mas dependendo do momento em que você optar por fazer essa viagem a Buenos Aires este cenário pode ser um pouco diferente, então se prepare com antecedência e guarde bem aquelas moedas do cofrinho que a vovó sempre ajuda a encher.

vista do alto de Buenos Aires
Visão de Buenos Aires do Palácio Barolo: R$30, uma cerveja inclusa e uma bela vista.

Pensamos em montar um roteiro com os dias certos, mas para escolher o que fazer em Buenos Aires não é preciso se preocupar muito com transporte, você irá perceber que TUDO pode ser feito a pé (dependendo, claro, de seu preparo e da previsão do tempo). As distâncias máximas não são tão grandes. Ao caminhar nas ruas você perceberá que elas valem por si só; a cada esquina você vai encontrar algum lugar legal para parar e apreciar a vista. 

Por ser uma cidade costeira, há poucas elevações em seu terreno, então pra quem gosta, vale a pena alugar uma bike pagando por hora. Lá você irá encontrar uma estação a cada esquina. A única diferença é que em Buenos Aires, em 99% dos casos a bicicleta que você pegar estará funcionando. Você pode encontrar mais informações sobre o aluguel bikes aqui.

MALBA (Museu de Artes Latino Americanas de Buenos Aires)

O MALBA foi um dos lugares preferidos da viagem. Lá você encontrará uma exposição fixa que conta com nomes como Diego Rivera, Cândido Portinari, Frida Kahlo entre vários outros pintores renomados. Mais importante que isso, lá no MALBA é onde fica o quadro Abaporu, da Tarsila do Amaral, que representa um marco para o movimento modernista no Brasil.
Além da exposição fixa, no segundo andar do museu sempre acontecem as exposições rotativas e aí fica difícil explicar porque você pode pegar desde pirações experimentais e existencialistas até exposições de artesanato! 

MALBA em Buenos Aires visto de frente
Visão externa do MALBA em Buenos Aires

Por fim, a estrutura do museu é maravilhosa, sua arquitetura é impecável. Desde o primeiro momento em que vemos o museu do lado de fora já há emoção! Não deixe de visitar esse lugar e mergulhar em um mar de referências e histórias.

O MALBA fecha às terças-feiras. O preço da entrada inteira custa 90 pesos e a meia 45 pesos. Nas quartas-feiras, o preço é fixo em 45 pesos.

Mercado e Feira de San Telmo em Buenos Aires

Esse é um dos passeios mais manjados de Buenos Aires, mas não à toa. O bairro era, no começo de 1900, um dos mais ricos da capital, se não o mais rico. Ao caminhar por ele você notará que muitas ruas ainda são de paralelepípedo e diversas casas estão em ruínas pois não são cuidadas.

músicos de rua na Feira de San Telmo em Buenos Aires
Artistas de rua na Feira de San Telmo

A Feira de San Telmo acontece todos os domingos. Lá você encontrará diversas antiguidades, artigos de decoração, bugigangas e muito mais. Estar na feira é praticamente viajar no tempo, você encontrará diversos artefatos muito bem cuidados e outros nem tanto. 

Já o Mercado de San Telmo fica aberto todos os dias da semana. Aos domingos nem todas as lojas abrem e nos sábados ele fica muito cheio, então reserve um dia durante a semana para visitar o local. Dentro do mercado você encontrará em sua maioria lugares para comer/comprar comida ou lojinhas de antiguidade. Nós passamos pelo mercado em 3 dias diferentes, e nos 3 dias comemos sempre uma empanada para abrir o apetite e em seguida comíamos em algum outro lugar do mercado ou mesmo nas ruas da região. Ressaltamos que em qualquer roteiro você encontrará essa indicação, então não perca a chance de conhecer o local.

Turistas no Mercado de San Telmo em Buenos Aires
O Mercado de San Telmo em Buenos Aires

A Feira de San Telmo acontece apenas aos domingos e sua entrada é gratuita por acontecer na rua. O Mercado de San Telmo fica aberto todos os dias da semana.

MACBA & MAMBA

Aproveitando a localização de San Telmo não podíamos deixar passar o Museu de Arte Contemporânea e o Museu de Arte Moderna de Buenos Aires, que ficam literalmente colados um ao outro. O Museu de Arte Moderna (MAMBA), como o próprio diz, traz diversas obras nacionais e internacionais relacionadas a esse estilo de arte. Podemos dizer de forma delicada que não é um museu aceito por todos. Por se tratarem de obras modernas algumas pessoas que o visitam acabam não gostando tanto. No nosso caso, ficamos apaixonados. Quando fomos piramos na exposição chamada “Argentina Lisérgica”, que traz diversas obras relacionadas ao momento de psicodelia dentro da arte moderna. 

Obra no MACBA em Buenos Aires

Saindo do MAMBA já fomos diretamente para o MACBA, o Museu de Arte Contemporânea de Buenos Aires. Lá, novamente, mais e mais pirações! O museu tem foco em formas geométricas de todos os jeitos. Esculturas, pinturas, ilustrações entre outros que estão espalhados ao longo de seus 7 andares e 3 sub-solos.

O MACBA custa 32 pesos por pessoa e fecha apenas nas terças-feiras.
O MAMBA custa 30 pesos para adultos e fecha apenas nas terças-feiras também.

Reserva Ecológica Costanera Sur

Ah, o Costanera Sur! Sabe como é, a gente que é de São Paulo agradece pelo Parque Ibirapuera; lá em Buenos Aires, como se já não bastassem as dez mil árvores a cada quarteirão, eles ainda tem essa reserva. Chamado de Costanera Sur por se localizar no extremo sul de Buenos Aires, ele fica colado no centro urbano de Puerto Madero, bairro que tem passado por diversas reformas e pouco a pouco está cada mais parecido com uma Avenida Paulista ou até Brigadeiro Faria Lima. E talvez seja exatamente aí que mora a maior graça da reserva.

Visão externa da Reserva Ecológica Costanera Sur
Visão da entrada da Reserva Ecológica Costanera Sur em Buenos Aires

Em menos de 5 minutos caminhando para dentro dele já não se ouve mais nada e nos sentimos completamente isolados e em meio a natureza. A parte bizarra é que olhando para trás é possível enxergar os prédios espelhados e ao olhar pra frente enxergamos apenas o Rio da Prata. Este é um dos momentos mais legais para pegar uma bicicleta e curtir as trilhas da reserva.

A Reserva Ecológica Costanera Sur possui entrada gratuita.

Plaza de Mayo & Casa Rosada

Próximo à região do Costanera Sur estão estes dois lugares. A Plaza de Mayo é famosa por ser um espaço de muitos protestos, desde do início de sua existência. A mais famosa é a manifestação de mães, conhecida como “Asociación Madres de la Plaza de Mayo”. Durante o período da ditadura argentina, as mães começaram a se reunir nesta praça para protestar contra o desaparecimento de seus filhos, iniciando o movimento que culminou no fim da ditadura.

visão da plaza de mayo com a casa rosada ao fundo
Dia de Protesto a favor do aborto na Plaza de Mayo em frente a Casa Rosada

Não por acaso, a Plaza de Mayo se tornou um local de protestos justamente por estar na frente da Casa Rosada, sede da presidência argentina. É possível realizar visitas internas no lugar, mas são dias imprevisíveis, então se passar por lá e não conseguir entrar, aproveite para apreciar a arquitetura local e tomar um café.

Cemitério da Recoleta

Um dos cemitérios mais visitados ao redor do mundo, o cemitério da Recoleta é conhecido por seus túmulos, estátuas e lápides extremamente chiques, indicando um período de estabilidade econômica no início do século XIX. Para muitos pode não ser um passeio interessante e até mesmo não muito agradável, mas para nós foi quase como um museu a céu aberto. Há verdadeiras obras de arte por lá.

parte de fora do Cemitério da Recoleta
Entrada do Cemitério da Recoleta

Dependendo do horário e dia que for visitar o cemitério, logo ao sair dele você estará ao lado de diversos bares e restaurantes. Parece (e nós achamos mesmo) meio macabro esse fato, mas foi impossível negar uma cerveja bem gelada no final do dia após um passeio denso como esse. O movimento noturno no bairro da Recoleta é bem conhecido e andando por lá a noite você com certeza achará algum lugar que te fará parar e aproveitar a noite argentina.

Caminito & La Bombonera

O bairro do Caminito ficou famoso por suas cores! Diversas casas, paredes, ruas e mais foram pintadas por um movimento organizado pelo artista Quinquela Martin. O bairro no seu início era conhecido por ser uma região portuária, onde grande parte dos imigrantes moravam, o que infelizmente até hoje, revela um certo preconceito em relação ao local afirmando que ele é extremamente perigoso pela boca de alguns argentinos. É claro que você não vai ficar sambando com seu celular na mão, a gente não faz isso nem na frente de casa, não é? 

casas do caminito em Buenos Aires
Casas coloridas no Caminito

O passeio pelo Caminito é uma grande viagem, pois a cada esquina você encontrará uma obra diferenciada que te chamará atenção. Depois de caminhar por ele todo, também convém parar em algum restaurante para apreciar um pouco da culinária local.

Perto do Caminito, fica La Bombonera, o estádio do Boca Juniors. “Ah, mas eu nem gosto de futebol!” – nem a gente! Mas pra quem procura o que fazer em Buenos Aires não pode deixar de passar ao lado da famosa Bombonera. A sensação é única! Ainda mais em dias de jogo do time. O bairro ferve. Bares cheios, ruas paradas e todos concentrados por um único motivo.

parte externa de La Bombonera em Buenos Aires
Vista de fora de La Bombonera

Plazoleta Julio Cortazar

A tal da Plazoleta Julio Cortazar! Como bem falamos, nem tudo é museu e história, as vezes só queremos um lugar para andar e tomar boas cervejas. E esse foi exatamente isso que achamos. Rodeada de bares a plazoleta é cheia de diversas casas para todos os gostos. Não temos nenhuma indicação especial para este lugar porque na mesma noite passamos em mais de 4 bares, e logo no segundo já ficou mais difícil de lembrar quais eram os nomes. Mas não perca a oportunidade de em alguma das noites passar por lá para tomar bons drinks e comer alguns aperitivos.

Para fechar..
Seguimos bem nosso plano financeiro e planejamos a partir de um site chamado Quanto Custa Viajar?. A dica é: olhe a referência de preços dele e estime tudo entre 10% e 20% a mais para ter uma margem de segurança. No nosso caso, deu tudo certo e conseguimos curtir bem os dias e aproveitamos algumas poucas mordomias em alguns momentos.

Apesar de termos usado pouquíssimas vezes metrô, ônibus e uber, não tivemos problema algum quando usamos. Caso deseje usar o transporte público, é necessário comprar o cartão SUBE, que funciona como nosso bilhete único. Caso queira saber mais, clique aqui.

Para facilitar, fizemos uma lista no Google Maps com todos os lugares e dicas sobre o que fazer em Buenos Aires! Basta clicar aqui para ver.

Curtiu o post? Deixamos o convite para conhecer um pouco mais sobre nosso trabalho. Confira nossos posts sobre arte e design!

Siga nosso Instagram e confira nossas dicas e inspirações sobre viagens, arte, design e música. Te esperamos lá.